• Bem-vindos ao GEMPAZ!

    O espiritismo é, ao mesmo tempo, uma ciência de observação e uma doutrina filosófica. Como ciência prática ele consiste nas relações que se estabelecem entre nós e os espíritos; como filosofia, compreende todas as consequências morais que dimanam dessas mesmas relações.(Preâmbulo)

  • O Livro dos Espíritos - Prolegômenos

    ...Fenômenos alheios às leis da ciência humana se dão por toda parte, revelando na causa que os produz a ação de uma vontade livre e inteligente. A razão diz que um efeito inteligente há de ter como causa uma força inteligente e os fatos hão provado que essa força é capaz de entrar em comunicação com os homens por meio de sinais materiais. Interrogada acerca da sua natureza, essa força declarou pertencer ao mundo dos seres espirituais que se despojaram do invólucro corporal do homem. Assim é que foi revelada a Doutrina dos Espíritos...

  • Bem-vindo ao GEMPAZ

    "A questão mais aflitiva para o espírito no Além é a consciência do tempo perdido". Francisco Cândido Xavier

  • Bem-vindo ao Gempaz

    "Lembremo-nos de que o homem interior se renova sempre. A luta enriquece-o de experiência, a dor aprimora-lhe as emoções e o sacrifício tempera-lhe o caráter. O Espírito encarnado sofre constantes transformações por fora, a fim de acrisolar-se e engrandecer-se por dentro." Francisco Cândido Xavier

  • Para reflexão

    Antes de observar os possíveis erros ou defeitos do outro, vale mais procurar-lhe as qualidades e dotes superiores para estimulá-los ao desenvolvimento justo. "Do livro Sinal Verde - André Luiz."

  • Bem-vindo ao Gempaz

    É sempre possível achar a porta do entendimento mútuo, quando nos dispomos a ceder, de nós mesmos, em pequeninas demonstrações de renúncia a pontos de vista. "Do livro Sinal Verde - André Luiz."

  • Evangelho no Lar - Ante a Oração

    Acatemos na oração a presença da luz que nos descortina a estrada para a Vida Superior, sem nos prevalecemos dela, a fim de queixar-nos de outrem ou espancar verbalmente seja a quem seja, quando a nossa comunhão com Deus e com a Espiritualidade Superior não seja possível em lugar à parte, no silêncio do coração,conforme a recomendação de Jesus.

  • Bem-vindo ao GEMPAZ

    “Nascer, morrer, renascer ainda e progredir sempre, tal é a lei.” Todo efeito tem uma causa; todo efeito inteligente tem uma causa inteligente; a potência de uma causa está na razão da grandeza do efeito.” Allan Kardec Allan Kardec

  • Bem-vindo ao GEMPAZ

    "Antes de observar os possíveis erros ou defeitos do outro, vale mais procurar-lhe as qualidades e dotes superiores para estimulá-los ao desenvolvimento justo". Do livro Sinal Verde - pelo Espírito André Luiz

  • Bem-vindo ao GEMPAZ

    “Reconhece-se o verdadeiro espírita por sua transformação moral e pelos esforços que faz para dominar as más inclinações” Allan Kardec

  • Reflitamos...

    Se você tem qualquer mágoa remanescendo da véspera, comece o dia, à maneira do Sol: esquecendo a sombra e brilhando de novo. "Do livro Sinal Verde - André Luiz."

  • Departamento Infância e Juventude

    "Ide, pois, e levai a palavra Divina(...). Arme-se a vossa falange de decisão e coragem! Mãos à obra! O arado está pronto; a terra espera; arai! (Erasto, Evangelho Segundo Espiritismo - cap XX-4)

Gempaz - Regimento Interno - Atual

Avalie este item
(0 votos)
Publicado em: Regimento Interno

Grupo Espírita Mensageiros da Paz

REGIMENTO INTERNO DO GRUPO ESPÍRITA MENSAGEIROS DA PAZ

O presente REGIMENTO INTERNO tem como finalidade a unidade,  a coerência  com a Doutrina Espírita, e a organização em todos os âmbitos de atividades desenvolvidas no  “GRUPO  ESPÍRITA  MENSAGEIROS  DA  PAZ”,  doravante  chamado  GEMPAZ, buscando  a  harmonia  entre  os  grupos  das  diversas  atividades  desenvolvidas, participantes e o fortalecimento da  entidade como um todo, a fim de que se atinjam os objetivos estatutários a que se propõe.

CAPÍTULO PRIMEIRO – DAS DIRETRIZES GERAIS

Art. 1º - Toda e qualquer atividade do GEMPAZ, seja metódica, periódica ou eventual,
deverá  ter  como  base  as  Obras  de  Allan  Kardec,  subsidiadas  por  obras  de  origem
mediúnicas ou não, de notório valor doutrinário, a critério do Departamento Doutrinário
do GEMPAZ.

Art. 2º -  São,  terminantemente,  vedadas nas atividades do GEMPAZ prática de rituais
de  qualquer  natureza  e  o  culto  de  imagens  de  Espíritos  ou  pessoas,  devendo -se
observar, nas preces proferidas na abertura e encerramento das sessões públicas ou
reservadas,  a  concisão  e  simplicidade,  conforme  preceituado  em  “Orientação  ao
Centro Espírita”, aprovado pelo Conselho  Federativo Nacional, da Federação Espírita
Brasileira (FEB).

Art.  3º  -  Toda  atividade  a  ser  executada  no  GEMPAZ  deverá,  antes  de  posta  em
execução,  ser  examinada  pelo  Departamento  Doutrinário,  que  se  manifestará
expressamente  sobre  sua  conveniência,  necessidade  e  utilidade,  bem  como  sobre
sua coerência com os postulados da Doutrina Espírita.  Após a análise e manifestação
do  Departamento  Doutrinário,  o  Conselho  Deliberativo  manifestará  sua  opinião,
aprovando ou sugerindo mudanças, e,  em caso de manifesta necessidade de ajustes,
emendas, modificações ou adaptações, o Departamento Doutrinário, ouvindo o setor
ou grupo interessado, elaborará anteprojeto do programa assim retificado, para  nova
manifestação do Conselho  Deliberativo,  único órgão competente para decidir sobre a
aprovação ou não da matéria em exame.


Art. 4º  -  Aplica-se o mesmo procedimento de que trata o artigo anterior na criação de
novos  grupos  de  trabalho  e  estudo  no  GEMPAZ,  cujo  início  de  atividades,  esteja
sempre  sujeito  a  um  período  de  experiência,  dependendo  de  prévia  aprovação  do
Conselho Deliberativo, em consonância com o Departamento Doutrinário.

Art.  5º  -  Os  horários  das  diversas  atividades  devem  ser  criteriosamente  seguidos,
tanto o de início quanto o de encerramento, a fim de que uma atividade não interfira
na outra.

Art. 6º -  Os trabalhadores do  GEMPAZ  devem abster-se de proferir críticas a credos,
religiões ou pessoas, em toda e qualquer atividade desenvolvida em suas instalações
ou enquanto o representar.

Art.  7º  -  Nas  reuniões  públicas  não  poderão  ser  feitas  arrecadações  de  recursos
financeiros, por meio de coletas, rifas, bingos e afins.

Art. 8º - Em nenhum trabalho público se atenderá a solicitação de preces especiais.

Art.  9º  -  Todo  grupo  de  trabalho  ou  estudo  deverá  permitir  que  a  realização  das
tarefas seja feita sob a forma de rodízio na atribuição de funções, visando fortalecer o
espírito  de  equipe  e  a  preparação  de  colaboradores,  sempre  sob  a  coordenação  e
supervisão do responsável pela atividade.

Art.  10  -  Todos  os  frequentadores  podem  usufruir  dos  trabalhos  do  GEMPAZ,  sem
restrições de caráter racial, religiosa, social, ideológico, etário ou qualquer outro.

Art.  11  -  Os  trabalhadores  dos  grupos  devem  receber  sempre  com  cordialidade  e
atenção as pessoas neófitas que buscam o Centro, orientando-os no que for possível.

Art. 12 -  Todo freqüentador tem o direito de ingressar em qualquer grupo de trabalho
do  GEMPAZ, na condição de colaborador, desde que haja vaga no grupo e ele esteja
apto  para  a  tarefa  a  que  se  propõe,  observando-se  os  casos  previstos  neste
Regimento.

Art. 13 -  Todo participante ativo do  GEMPAZ  deve conhecer e aplicar as  orientações
deste Regimento.

Art. 14  -  É sumariamente proibido o uso de qualquer tipo de bebida alcoólica, droga
alucinógena  ou  fumo  no  interior  do  GEMPAZ  ou  em  suas  atividades  externas,  bem
como qualquer forma de conduta atentatória à moral e aos bons costumes.

Art. 15 – As reuniões mediúnicas e pública de evangelho não terão períodos de férias,
sendo de responsabilidade dos  seus  dirigentes, providenciarem  seus substitutos  pelo
período em que estiverem afastados.

Parágrafo  Único  –  Nos  meses  de  janeiro,  no  horário  dos  grupos  de  estudo,  serão
realizadas reuniões de planejamento das atividades do ano em exercício.

CAPÍTULO SEGUNDO – DAS NORMAS GERAIS DE EVANGELIZAÇÃO INFANTO JUVENIL

Art.  16  -  A  Evangelização  Infanto-Juvenil  compreenderá  a  orientação  evangélica  a
crianças  e  jovens  de  03  (três)  a  21  (vinte  e  um)  anos  segundo  orientação
metodológica da FEB e FEP (Federação Espírita do Paraná), respeitando-se as faixas
etárias.  

Art. 17 –  Os grupos de evangelização infanto-juvenil observarão um  período de férias
anual  de  final  de  ano,  com  retorno  previsto  para  o  mês  de  fevereiro.  Durante  esse período  de  férias,  será  prestada  assistência  aos  evangelizandos,  por  meio  de
atividades lúdicas, observado o artigo 14 deste Regimento.

Art. 18  –  É requisito para o exercício da função de evangelizador,  a boa vontade,  o
conhecimento  e  observância  dos  conceitos  espíritas  em  sua  conduta,  bem  como  a
freqüência  obrigatória  a  pelo  menos  um  grupo  de  estudo  do  GEMPAZ,  aos
treinamentos oferecidos, e algum dos trabalhos desenvolvidos pela entidade.

Art.  19  -  Serão  aceitos  para  Evangelização  filhos  de  espíritas  ou  não,  desde  que
aceitem as orientações do GEMPAZ.

CAPÍTULO TERCEIRO: DAS NORMAS ESPECIAIS PARA EVANGELIZAÇÃO DA JUVENTUDE


Art.  20  -  A  Evangelização  da  juventude  compreenderá  a  orientação  doutrinária
evangélica  e  filosófica  a  jovens  com  idade  entre  14  (quatorze)  e  21  anos,  segundo
orientação metodológica da FEP ou FEB, respeitando-se as faixas etárias.

Art. 21 – Revogado.

Art.  22  -  Em  ocasiões  especiais  poder-se-á  convidar  membros  da  comunidade  não
espírita para falarem de temas técnicos específicos que fujam ao conhecimento dos
participantes, o convite será efetuado após aprovação do Departamento Doutrinário.

Art. 23 -  As reuniões de Evangelização à Juventude credenciam os jovens com idade
superior  a  17(dezessete)  anos  e  com  no  mínimo  30  (trinta)  reuniões  assistidas,
controladas e registradas pelo evangelizador responsável, a participar das reuniões de
Introdução ao Estudo Mediúnico.

CAPÍTULO QUARTO – DAS NORMAS ESPECIAIS PARA EXPOSIÇÕES EVANGÉLICAS

Art.  24  –  A  exposição  pública  deverá  observar  fielmente  a  orientação  evangélica,
filosófica  e  científica  da  Doutrina  Espírita,  tendo  por  base  suas  obras  básicas,
podendo ser subsidiada por obras, mediúnicas ou não, de cunho doutrinário.

Art.  25  -  Nas  exposições  públicas  deverá  ter  uma  equipe  treinada  para  realizar  a
recepção, a direção da reunião, o passe, e o atendimento fraterno.  Esse  treinamento
será feito,  quando necessário,  pelo Departamento Doutrinário, de modo a  habilitar o
integrante a essas tarefas.

Art.  26  -  É  requisito  para  o  exercício  da  função  de  expositor  evangélico,  a  boa
vontade,  o  conhecimento  e observância dos conceitos espíritas em sua conduta, bem
como a  freqüência  obrigatória  a  pelo menos um grupo  de estudo  do  GEMPAZ, aos
treinamentos oferecidos, e a algum dos trabalhos desenvolvidos pela entidade .
Grupo Espírita Mensageiros da Paz

Art. 27 - O passe será atividade complementar dos trabalhos públicos.
Parágrafo  Único  –  No  trabalho  de  passe  deverão  ser  observadas  as  seguintes
orientações:
a) Evitar a manifestação de espíritos durante o passe;
b)  Os passistas deverão integrar-se  a  algum dos trabalhos do  GEMPAZ  e  às normas
deste regimento.
c)  A  equipe  de  passistas  deve  ser  preparada  e  freqüentar  cursos  específicos  de
treinamento e reciclagem oferecidos pelo GEMPAZ.

Art.  28  -  As  exposições  de  assuntos  doutrinários  nas  sessões  públicas  são  de
responsabilidade do dirigente do trabalho, ainda que proferidos por orador convidado.
Deve o dirigente retificar alguma citação que fira os preceitos da Doutrina Espírita.

CAPÍTULO QUINTO – DAS NORMAS ESPECIAIS PARA OS GRUPOS DE ESTUDO DA
DOUTRINA ESPÍRITA

Art.  29  –  Os  grupos  de  estudo  da  Doutrina  Espírita  serão  divididos  em:  Grupo  de
Estudo  da  Doutrina  Espírita  I  (GEDE  I),  Grupo  de  Estudo  da  Doutrina  Espírita  II
(GEDE  II),  e  Grupo  Especial,  para  estudo  de  temas  diversos  à  luz  da  Doutrina
Espírita.
a)  O  GEDE  I  terá  duração  de,  no  mínimo,  3  anos,  e  se  ocupará  dos  seguintes
assuntos:  introdução ao  estudo  da  Doutrina  Espírita,  seus  princípios  básicos,
fundamentos e propostas em seus aspectos gerais.
b)  O GEDE II  se ocupará do estudo completo das  obras básicas e subsidiárias da
Doutrina Espírita.
c)  Os Grupos de Estudos especiais serão realizados a critério da direção e/ou por
interesse de um grupo de frequentadores, com o objetivo de aprofundamento
em  algum  tema  específico,  à  luz  da  Doutrina  Espírita,  em  datas,  horários  e
períodos a ser estabelecidos pelo próprio grupo.

Art.  30  –  A  frequência  mínima  de  30  reuniões  nos  GEDEs  é  pré-requisito  para  a
participação  nas  reuniões  de  introdução  ao  estudo  mediúnico,  bem  como  estar
integrado  a  algum  dos  trabalhos  do  GEMPAZ .  O  coordenador  dos  GEDEs  deverá
controlar essa frequência.
§ Primeiro  –  Para  os grupos  de estudos especiais,  não haverá pré-requisitos, a não
ser o de ser frequentador da GEMPAZ.
§ Segundo – As reuniões de estudo serão realizadas  com a presença de, no mínimo,
três participantes, contado o dirigente.
Grupo Espírita Mensageiros da Paz

Art. 31  –  O participante que faltar mais de três (03) vezes consecutivas ou tiver mais
de  10  faltas intercaladas, sem justo motivo,  terá a  contagem  de trinta (30) reuniões
reiniciada, para efeito do art. 30 deste regimento.

Art.  32  –  Poderá  o  Departamento  Doutrinário  em  conjunto  com  o  coordenador  do
grupo  de  estudo  e  com  um  membro  da  diretoria,  em  função  do  conhecimento
irrefutável  e  notório  saber  à  cerca  da  Doutrina  Esp írita,  permitir  que  novos
frequentadores  oriundos  de  outras  casas  ou  cidades  e  engajados  ao  trabalho  do
GEMPAZ, possam ser promovidos de um grupo para outro, sem a complementação
dos estudos,  mas  sempre será necessário um mínimo de 20 reuniões no grupo
para este avanço.

CAPÍTULO SEXTO – DAS NORMAS GERAIS PARA REUNIÕES DOS GRUPOS DE
ESTUDOS E PRÁTICA DA MEDIUNIDADE

Art. 33  -  As reuniões reservadas de  estudo e prática da mediunidade  compreenderão
a orientação doutrinária, filosófica e  científica da Doutrina Espírita, por meio  do estudo
do Livro dos Médiuns, de  obras relacionadas  à mediunidade,  ou  de  outras indicadas
pelos dirigentes dos grupos, com respaldo do Departamento Doutrinário,  aliando-se  a
esse estudo os exercícios de concentração, experimentação ou prática mediúnica.
Parágrafo Único – As reuniões referidas no caput serão divididas em dois grupos:
a)  Grupo de Introdução ao Estudo Mediúnico;
b)  Grupo Avançado de Estudo Mediúnico.

Art.  34-  Os  participantes  das  reuniões  reservadas  deverão,  obrigatoriamente,
participar de,  no mínimo,  uma reunião pública por semana, realizada pelo  GEMPAZ,
na qualidade de colaborador.

Art. 35 - As reuniões com prática mediúnica deverão observar os seguintes critérios:
a) As práticas mediúnicas não deverão ser realizadas em público;
b)  Os integrantes dos grupos devem  ter o  conhecimento  e observância dos conceitos
espíritas em sua conduta, bem como a  freqüência  obrigatória a  pelo menos um grupo
de  estudo  do  GEMPAZ,  aos  treinamentos  oferecidos,  e  algum  dos  trabalhos
desenvolvidos pela entidade;
c) O médium não deverá prometer curas, nem receber presentes;
Grupo Espírita Mensageiros da Paz
d)  A  divulgação  de  comunicação  recebida  por  intermédio  mediúnico  deverá  ser
precedida de exame criterioso quanto à conveniência dessa divulgação, bem como de
sua adequação aos preceitos doutrinários.

CAPÍTULO SÉTIMO – DAS NORMAS ESPECIAIS PARA REUNIÕES DE INTRODUÇÃO AO
ESTUDO MEDIÚNICO

Art.  36  -  É  pré-requisito  para  participar  das  reuniões  de  Introdução  ao  Estudo
Mediúnico:
I – A observância do disposto no Art. 30, ressalvando-se os casos em que as pessoas
já  possuam  conhecimento  Doutrinário  comprovado,  adquirido  no  GEMPAZ  ou  fora
dele,  verificado em  entrevista pessoal com o  dirigente do Departamento Doutrinário e
com o dirigente do grupo de estudo pretendido. Essa pessoa poderá ser indicada para
participar  do  referido  grupo,  caso  haja  vaga,  ficando  a  decisão  final  sobre  a  sua
inclusão à aquiescência do grupo, levando -se em conta a afinidade entre ambas as
partes, pois necessária ao bom andamento dos trabalhos e atingimento dos fins a que
se propõe.
II – Ser trabalhador do GEMPAZ;

Art.  37  -  As  reuniões  reservadas  de  Introdução  ao  Estudo  Mediúnico  poderão  ser
realizadas  no  mesmo  dia  e  horário  das  reuniões  do  grupo  Avançado  de  Estudo
Mediúnico.

Art. 38  –  O participante que necessitar faltar,  deverá comunicar com antecedência  a
seu  dirigente  ou  a  algum  participante  do  grupo,  como  demonstração  de  respeito  à
organização e preparo da reunião.

Art.  39  –  O  participante  que  faltar  mais  de  03  (três)  vezes  no  bimestre,  sem  justo
motivo,  retornará  ao  grupo  de  estudos  que  o  credenciou  a  participar  do  grupo
reservado e nova contagem será iniciada, conforme o previsto no Art. 30.

Art. 40  –  Após  concluído ao menos um módulo de estudo no grupo  de  Introdução ao
Estudo Mediúnico e, após avaliação dos dirigentes dos grupos Iniciante e Avançado, o
participante  interessado  poderá  ingressar no  grupo  Avançado  de Estudo  Mediúnico,
caso haja vaga neste, e observada a parte final do inciso I, do Art. 36.

CAPÍTULO OITAVO – DAS NORMAS ESPECIAIS PARA REUNIÕES DO GRUPO
AVANÇADO DE ESTUDO MEDIÚNICO

Art. 41  –  O participante que necessitar faltar,  deverá comunicar com antecedência  ao
dirigente  ou  a  algum  participante  do  grupo,  como  demonstração  de  respeito  à
organização e preparo da reunião.

Art.  42  –  O  participante  que  faltar  mais  de  03  (três)  vezes  no  bimestre,  sem  justo
motivo,  retornará  ao  grupo  de  estudos  que  o  credenciou  a  participar  do  grupo
avançado, reservado e nova contagem será iniciada, conforme o previsto no Art. 30.

Art.  43  –  Após  concluído  ao  menos  um  módulo  de  estudo  no  grupo  Avançado  de
Estudo  Mediúnico  e,  após  avaliação  dos  dirigentes  dos  grupos  Avançado  e  de
Desobsessão, o participante interessado poderá  ingressar no grupo de Desobsessão,
caso esse grupo seja criado e  haja vaga neste, observada a parte final do inciso I, do
Art. 36.

CAPÍTULO NONO - DAS NORMAS ESPECIAIS PARA REUNIÕES DE DESOBSESSÃO

Art. 44  -  É pré-requisito para  participar da reunião de  Desobsessão o disposto no Art.
43.

Art.  45  -  As reuniões de Desobsessão compreenderão o atendimento espiritual aos
desencarnados, antecedido de breve explanação evangélica.
I  –  Criado  o  grupo  de  desobsessão,  o  Conselho  Deliberativo  do  GEMPAZ,
estabelecerá outras normas específicas que julgar necessárias ao seu funcionamento.
CAPÍTULO DÉCIMO – DAS NORMAS GERAIS

Art.  46  -  É  dever  de  todos  os  freqüentadores,  zelar  pelo  patrimônio  do  GEMPAZ,
evitando práticas que danifiquem seus objetos, pertences e instalações.

Art.  47  -  É dever de  todo  dirigente de  grupo  observar se  todas  as  janelas  e  portas
foram fechadas, e se as luzes e aparelhos foram desligados, ao fim de cada reunião.

Art.  48  -  As  atividades  doutrinárias  estarão  sujeitas  sempre  ao  critério  de
planejamento  anual,  que  deverá  observar  a  programação  de  eventos  municipais  e
regionais  para  a  cidade,  bem  como  a  programação  dos  órgãos  de  unificação
doutrinária que o GEMPAZ faça parte.
Parágrafo  único  –  Toda  atividade  proposta,  ainda  não  prevista  no  planejamento
anual, seja interna ou externa, somente poderá se realizar após deliberação positiva
da  Diretoria,  em  conjunto  com  o  Departamento  Doutrinário  e  o  departamento
envolvido, e em plena observância dos preceitos fundamentais da Doutrina Espírita.

Art.  49  –  Os  responsáveis  pelas  atividades,  bem  como  os  recursos  financeiros
necessários  à  sua  realização,  deverão  estar  previstos  no  planejamento  anual,
respeitando-se as restrições que os princípios doutrinários espíritas impõe à obtenção
de tais recursos,  notadamente ao que tange à moralidade, ao comércio e ao estímulo
a vícios e jogos de azar.

Art.  50  –  Este  Regimento,  aprovado  pelo  Conselho  Deliberativo  do  GEMPAZ,  em reunião realizada em 01/07/2010, entra em vigor nesta data.

Parágrafo  Único  –  A  Secretaria  do  GEMPAZ  providenciará  o  registro  deste Regimento e de sua respectiva ata, disponibilizando uma cópia em sua biblioteca e outras  cópias  em  sua  dependência.  Ademais,  entregará  uma  cópia,  mediante protocolo, a cada  dirigente  de departamento, para que  este conheça e divulgue seu conteúdo.

 


 

REGIMENTO DO DEPARTAMENTO DE SERVIÇOS SOCIAL ESPÍRITA

O presente regimento te como finalidade dar orientações gerais quanto à assistência material a ser desenvolvidas junto às pessoas selecionadas por esse departamento, objetivando a dar melhores condições de vida, orientando e amparando materialmente dentro das possibilidades do mesmo.

1) Ficará a critério do chefe do departamento à escolha das pessoas que formarão a equipe de assistência.

2) O departamento fará pelo menos uma vez por mês, reunião para avaliação e resultados das tarefas desempenhadas, bem como programação de novos trabalhos.

3) O departamento deverá ter suas atividades embasadas no conceito de Caridade, definido pela Doutrina dos Espíritos.

ATIVIDADES QUE O DEPARTAMENTO DESENVOLVERÁ

 

1 – Bazar de roupas usadas. Adquiridas por doações espontâneas, que serão selecionadas, e vendidas pelo menos, duas (02) vezes ao ano, a preços simbólicos.

2 – Atendimento às famílias atendidas pelo Projeto de Sociabilização Infantil, desenvolvido em parceria com a Edhucca – Escola de Desenvolvimento Humano Casa do Caminho: será encaminhado para esse departamento as fichas das crianças e, em dias programados com antecedência, se farão realizar visitas às famílias, com a assistente social e psicóloga, das mesmas e orientando aos pais a necessidade e importância do Evangelho de Jesus na Vida de todos nós.

Nessa visita se verificará as condições de vida dos mesmos elaborando-se posteriormente as formas de assistência sem interferência no livre arbítrio pessoal.

Posteriormente poderão ser convidadas as mães para o Clube de Mães, trabalho desenvolvido pela Edhucca – Escola de Desenvolvimento Humano Casa do Caminho.


 

DEPARTAMENTO DE PATRIMÔNIO

 

DEPARTAMENTO LIGADO DIRETAMENTE À PRESIDÊNCIA DO GRUPO ESPÍRITA MENSAGEIROS DA PAZ

REGIMENTO INTERNO

Art. 1º. O departamento de patrimônio do Grupo Espírita Mensageiros da Paz, reger-se-á pelos seguintes dispositivos :

 a) Cabe ao departamento de patrimônio a manutenção e guarda, preventiva e corretiva de todos os bens móveis e imóveis do Grupo Espírita Mensageiros da Paz;

b) Para tanto, poderá nomear seus colaboradores, objetivando o cuidado necessário com o patrimônio;

c) Será de responsabilidade inicial desse departamento o acompanhamento de qualquer obra no imóvel, seja novo ou reforma nas instalações físicas;

d) Da movimentação financeira do departamento, que poderá dar-se, visto verba destinada pela presidência para aquisição de materiais em geral, deverá o departamento de patrimônio fazer relatório, em três vias, destinando-se da seguinte maneira: uma para Presidência, uma para Tesouraria e uma para Arquivo de departamento;

e) Manter arquivo em dia e em ordem com todas as anotações inerentes à atividade.


BIBLIOTECA ESPÍRITA

Órgão ligado ao departamento doutrinário e departamento de difusão doutrinária, do Grupo Espírita Mensageiros da Paz.

REGIMENTO INTERNO

Art. 1º. Compete à Biblioteca do Grupo Espírita Mensageiros da Paz:

a) Cadastrar os livros, obedecendo, em linhas gerais:

- Confeccionar uma lista, onde conste:

Título da obra;

Quantia de obras com mesmo título; entre parênteses o nº correspondente ao mesmo no dorso do livro para melhor localização;

Autor, psicógrafo ou autor espiritual.

Classificação (doutrinário, romance, mensagens, infantil, poesias, etc..);

- Usar ficha cadastro, onde conste :

Título da obra;

Autor, psicógrafo ou autor espiritual.

Número de livro que corresponde ao da lista, para melhor localização;

Data de empréstimo, nome do sócio e data de anotação para devolução do livro;

- Esta ficha cadastro ficará na contracapa final do livro.

Esta ficha, quando o livro é emprestado deve ficar na Biblioteca para controle da devolução;

b) Comunicar ao sócio(a) da Biblioteca que o limite máximo para renovação do empréstimo do livro que está em seu poder é de 15 dias, sendo que o sócio(a) tem o direito a emprestar até duas obras de cada vez.

- Possuir um Bibliotecário, que lhe cabe a responsabilidade de :

- Verificar o controle do empréstimo e devolução dos livros;

- Carimbar o livro com o nome do Grupo Espírita Mensageiros da Paz;

- Encapar os livros para melhor conservação e colocar o número correspondente a lista(índice) no dorso do livro para melhor localização;

- Cadastrar os sócios da Biblioteca em uma ficha controle, onde conste:

Nome completo do sócio(a);

Endereço completo (rua, nº, bairro) e telefone se o sócio(a) possuir;

Nome do livro que está lendo ou já leu;

- Esta ficha deve ser mantida e arquivo de número crescente da letra do alfabeto, conforme a primeira letra do nome do sócio(a) na Biblioteca;

c) Aquisição dos livros da Biblioteca é feito através de compra, doações, sendo que,

- os livros comprados têm a nota fiscal em nome do Grupo Espírita Mensageiros da Paz;

- Todos os livros, comprados ou doados, serão selecionados pelo departamento doutrinário para melhor divulgação da doutrina Espírita.

Ler 633 vezes
Mais nesta categoria: « Gempaz - Regimento Interno

Gempaz

Conecte-se:

GAD - Grupo de Acolhimento, Amparo e Autodesenvolvimento

Conecte-se:

GEMPAZ